• (61) 3224-4205
  • (61) 3963-7515

Anape discute Reforma da Previdência em evento no RS

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

As mudanças promovidas pela Emenda Constitucional 103/2019, promulgada em 12 de novembro de 2019, e os impactos nos Estados e no DF foram o tema do debate sobre Reforma da Previdência, realizado na segunda-feira (17). Organizado pela Associação dos Procuradores do Estado do Rio Grande do Sul, o evento ocorreu no auditório da APERGS, em Porto Alegre, e contou com a participação do presidente da Anape, Telmo Lemos Filho.

Com a presença do secretário-geral da União Gaúcha em Defesa da Previdência Social e Pública, Filipe Costa Leiria, e da Procuradora do Departamento de Previdência da APERGS, Adriana Neumann, o debate abordou as mudanças previdenciárias sob os aspectos econômicos, jurídicos e as consequências para as unidades federativas, especificamente no RS. No Estado, mesmo sem a aprovação da PEC 133/2019, chamada de “PEC Paralela da Previdência”, a Assembleia Legislativa já apreciou a reforma previdenciária local – Emenda Constitucional 78/20 e Lei Complementar 15.429/19.

Ao longo do painel, Telmo Lemos Filho compartilhou a experiência como presidente da Anape, que acompanha a Reforma da Previdência desde as alterações propostas ainda na gestão de Michel Temer, em 2016. “No momento em que o governo diz que o objetivo é retirar dos aposentados milhões, ele sinaliza claramente que quer fazer uma reforma fiscal. Mostrando que não está preocupado com previdência, mas com a rigidez fiscal”, ponderou.

Na avaliação do presidente da Anape, estão fazendo uma reforma constitucional em um momento de profunda crise. “O processo nacional foi rápido pois o objetivo era aumentar a receita dos sistemas previdenciários para cobrir o déficit, também aumentar o tempo de trabalho das pessoas que contribuem e limitar benefícios. No RS, temos que trabalhar com muito cuidado, pois fizeram uma inflexão que leva a pensar a previdência como algo que está submetido às grandes questões econômicas. E, no momento de dificuldade que se vive no Brasil, isso pode trazer muitos prejuízos”, concluiu.

O painel foi mediado pela vice-presidente para assuntos Institucionais e Políticos da APERGS, Helena Coelho. O evento contou com a presença do presidente da Associação dos Procuradores do RS, Carlos Henrique Kaipper, e dos membros da Diretoria Executiva local, Patrícia Bernardi Dall’Acqua, Luciane Buaes Dorneles, Daniele Leripio e Frederico de Sampaio Didonet, além de diversos Procuradores e Procuradoras, ativos e inativos.

*Com informações da APERGS